Onde tudo começa? O inglês como segunda língua desde sempre.

agosto 9, 2021

 

Quanto mais ricas e diversas são as experiências com as quais as crianças fazem suas investigações, mais elas se mantêm curiosas e instigadas a continuar descobrindo. Por isso, um dos papéis fundamentais da escola é justamente oferecer situações que provoquem e alimentem o interesse dos pequenos, colaborando para o desenvolvimento de diferentes competências consideradas indispensáveis no mundo de hoje. 

 

Entre elas está, sem dúvida, uma série de capacidades comunicativas. Diante de uma sociedade cada vez mais globalizada e conectada, espera-se que as crianças comecem a ganhar, logo cedo, familiaridade com uma segunda língua, em especial o Inglês, que ao longo das últimas décadas se consolidou como padrão internacional de comunicação.

 

Levando essa necessidade em consideração, o Centro Educacional Viva dá início ao contato com a língua inglesa ainda no Berçário. A partir dos 4 meses de idade, os alunos e alunas são convidados a começar a interagir com o idioma diariamente, respeitando as características da faixa etária, o que faz com que eles se familiarizem com o idioma desde sempre.

 

Desta forma, do mesmo modo que acontece com o Português, as crianças crescem identificando o Inglês como uma ferramenta comunicativa. Essa naturalização permite que, mais tarde, elas construam outras habilidades linguísticas, ganhando fluência no idioma e pleno domínio sobre os seus recursos expressivos, o que envolve também a vivência do repertório cultural presente na estrutura da língua. 

 

Essa introdução é feita por meio de atividades diversificadas, relacionadas ao currículo, às rotinas das crianças e integradas às outras aprendizagens em andamento. Em encontros diários, as professoras da segunda língua comunicam-se com os pequenos em Inglês, de modo espontâneo, sem que haja uma quebra na dinâmica escolar. 

 

Assim como há o momento da chamada, do lanche e da organização do espaço, o Inglês também faz parte da rotina das crianças como algo cotidiano, integrando temas que já estão sendo trabalhados em sala. Se os pequenos estão estudando algo relacionado aos animais, por exemplo, o aprendizado da língua inglesa muitas vezes acompanha a proposta a partir de histórias, livros e músicas relativos à temática.

 

A escuta atenta e o olhar sensível das professoras e professores para identificar o interesse dos pequenos também permite um aprofundamento daquilo que gera curiosidade. Ou seja, se eles se mostram entusiasmados pelas cores, trazendo para a escola uma palavra nova que aprenderam em casa, é possível usar isso nas investigações, apresentando no dia seguinte um material que trate das cores em Inglês.

 

Desta forma, os livros, as parlendas, a arte, a cultura popular e o contato com a natureza servem como motivadores para as aprendizagens em ambos os idiomas. Como nesta primeira fase do processo de escolarização ainda não há uma preocupação com as regras formais das línguas, elas acabam servindo como meio para as pesquisas realizadas pelas crianças, ainda que guiadas pela intenção de construir um vínculo com a língua inglesa, formando uma base sólida para que isso seja feito posteriormente com maior facilidade.

 

Seja no Berçário ou nas demais turmas que compõem a Educação Infantil, as crianças nunca são obrigadas a utilizar uma ou outra língua, mesmo na presença da professora de Inglês. Isso porque o objetivo é que elas se sintam à vontade para fazer uso de acordo com as próprias demandas. E é justamente a construção desses caminhos expressivos que interessam na primeira infância. Não à toa, a primeira palavra expressa por algumas crianças no Centro Educacional Viva é em Inglês.

 

Uma das estratégias utilizadas para que o uso natural e contextualizado da segunda língua aconteça são as andanças pelo ambiente escolar, explorando o espaço na companhia da professora de Inglês. Os estímulos sensoriais fazem as crianças experimentarem novas sensações, que despertam a vontade de aprender. Será que quando elas enxergam e tocam uma planta no pátio, elas identificam a plant? E as flores, são também flowers?

 

Os questionamentos que surgem no cotidiano ajudam a fomentar novas descobertas, indicam aos adultos quais questões despertam a curiosidade das crianças e podem servir como mote para próximas aprendizagens. 

 

Na infância, a qualidade das interações com o ambiente e as pessoas, aliada a um currículo bem estruturado, tanto da série quanto do Inglês, proporcionam o desenvolvimento do bilinguismo desde cedo e de forma intencional, mas bem natural. Mas como o contato frequente com o inglês desde a primeira infância, para além do vocabulário, possibilita expandir repertórios sociais e modos de significar o mundo?

 

Este será um dos temas de nosso encontro com a especialista em ensino bilíngue Antonieta Megale, no dia 14 de agosto, às 11h. O encontro faz parte do evento “Onde tudo começa? – A escola e a família no centro do desenvolvimento das crianças”, organizado pela Bahema Educação e pelo Centro de Formação da Vila, em que teremos também a oportunidade de ouvir a experiência de outras escolas do grupo. 

 

Confira a programação completa e inscreva-se!

 

Esse conteúdo é de autoria de Lidiane Torres, Diretora Orientadora Pedagógica do Centro Educacional Viva, em parceria com Luciana Lima, Coordenadora de Inglês de nossa Escola.

 

Plano de monitoramento

Agende sua Visita

Entre em contato e agende uma visita para conhecer mais do Centro Educacional Viva.

Agendar Visita